Cremer
- Principais riscos que a própria Companhia enxerga e assume

Principais riscos da Companhia

O fracasso da Companhia na gestão da estratégia de crescimento pode ter um efeito adverso relevante.

A estratégia de crescimento da Companhia envolve (1) continuar com o foco no mercado de cuidados para saúde; (2) crescer de forma sustentável com rentabilidade e relevância em cada segmento e categoria de produtos; (3) otimizar o retorno sobre o capital investido e geração de caixa; e (4) garantir a perenidade e geração de valor para a empresa no longo prazo. Assim, focando nas necessidades dos consumidores, para quem a Companhia quer continuar a ser a referência em produtos para cuidados com a saúde, é apresentado cinco grupos de processos críticos para atingir a diretriz estratégica: (1) Relacionamento e Marca, onde a Companhia buscará continuar a desenvolver um relacionamento mais próximo e técnico com seus clientes e consumidores, com uma adequada estratégia comercial e valorizando a marca; (2) Inovação e Gestão de Portfólio, onde a Companhia estará continuamente revisando sua linha de produtos para atender da melhor forma possível as necessidades de seus clientes e consumidores, assim como oferecendo novos produtos e apresentações que proporcionem percepção de benefício ao consumidor; (3) Excelência Operacional, que é buscar de forma contínua melhorias nas operações fabris, cadeia de suprimentos e sourcing de produtos; (4) Marco Regulatório, onde a Companhia atuará de forma a promover e fazer valer a especificação dos produtos junto aos órgãos regulatórios e mercados; e (5) Inteligência Competitiva, onde a Companhia pretende estruturar e manter uma inteligência competitiva para suportar melhor planejamento e tomada de decisão, assim como acompanhar o desenvolvimento de produtos para “cuidados com a saúde” no Brasil e no mundo.

Esses cinco grupos de processos, somado a valorização e desenvolvimento das pessoas e adequada infra-estrutura, são os pilares de sustentação do novo mapa estratégico. Caso a Companhia não consiga lograr êxito nessa estratégia, poderá afetar negativamente sua habilidade de crescer e ter um efeito adverso relevante sobre a Companhia.

Eventuais aquisições futuras envolvem riscos relacionados à integração dos negócios adquiridos e à descoberta de eventuais contingências não identificadas no processo de aquisição.

A Companhia pode realizar aquisições como forma de acelerar as estratégias de crescimento explorando de forma seletiva, oportunidades de aquisição de empresas de distribuição com portfólio complementar de fornecedores e produtos, aprimorando sua estrutura de vendas e de distribuição. O processo de integração de operações pode implicar dificuldades de natureza operacional, comercial, financeira, contratual e tecnológica. Por essa razão a Companhia pode não ser capaz de implementar com êxito suas estratégias na empresa adquirida ou de obter patamares esperados de retorno sobre investimentos relativos a essas aquisições, o que poderá afetar adversamente seus resultados operacionais e sua situação financeira.

Ademais, a Companhia pode descobrir, eventualmente, contingências não identificadas anteriormente em empresas adquiridas com relação às quais poderá ser responsabilizada na qualidade de sucessora, podendo incorrer perdas associadas às contingências, o que poderia afetar negativamente os resultados operacionais e sua condição financeira.

A Companhia depende de seus sistemas de comunicação e tecnologia da informação

O modelo de negócio depende da base tecnológica implantada (hardware e software) e qualquer perda física, descontinuidade ou atraso tecnológico pode por em risco a operação.

A Companhia possui um parque fabril que está sujeito a acidentes

A Companhia possui quatro fábricas, sendo que três localizadas em Blumenau, SC e uma em São Paulo, SP que estão sujeitas a acidentes de incêndio, explosão, entre outros. Apesar de possuir proteção de perda financeira coberta por seguro, acidentes podem afetar materialmente o desempenho operacional e financeiro da Companhia.

Disponibilidade de mão de obra

A Companhia tem aproximadamente 2.649 funcionários, e a falta de disponibilidade de mão de obra combinado com a capacidade da Companhia de atrair/reter funcionários, especialmente na região de Blumenau, pode afetar materialmente o desempenho operacional e financeiro da Companhia.

A baixa disponibilidade de recursos para financiamento e os níveis de faturamento da Companhia podem afetar sua capacidade de captação de recursos.

Podem reduzir o acesso da Companhia a financiamentos e captações de recursos no mercado de capitais ou rolamento de dívidas.

Condições climáticas na região do Vale do Itajaí.

O parque fabril da Companhia com três fabricas, a sede, o call center e seu principal Centro de Distribuição estão localizados no Vale do Itajaí, em Blumenau, no estado de Santa Catarina. Em 2008, o Vale do Itajaí sofreu uma de suas piores catástrofes naturais provocadas pelas chuvas seguidas por enchentes e deslizamentos de terras.

Em Setembro de 2011, enfrentamos a pior enchente dos últimos 27 anos na região de Blumenau. A Companhia não teve nenhum ativo fixo prejudicado pelas enchentes, porém o acesso ao local de trabalho foi bastante prejudicado.

No caso de interrupção prolongada no acesso ao parque fabril, a Companhia poderá ser afetada adversamente em seus resultados.

A Companhia poderá ser afetada adversamente pelos movimentos grevistas.

A Companhia é filiada ao sindicato das empresas têxteis da região de Blumenau (Sintex), e em outubro de 2008, houve um movimento grevista nas empresas filiadas ao Sintex. A Companhia teve suas operações parcialmente paralisadas durante o período aproximado de 10 dias. Caso a Companhia tenha longos períodos de paralisação sua capacidade de produção, distribuição e venda, pode afetar adversamente seus resultados operacionais e financeiros.

Desfechos desfavoráveis de processos que a Companhia é parte e que incluem penhora de ativos poderão prejudicar seus negócios e perspectivas.

A Companhia ofereceu como garantia de processos de execução judicial parte da Unidade Têxtil, a sede administrativa, e parte da Unidade de Adesivos que estão hipotecadas judicialmente. Além disso, alguns ativos de seu parque fabril, tais como máquinas e teares, são objeto de penhora judicial, no valor total de R$ 5,8 milhões.

Tais ativos podem ser executados no caso de decisão adversa referente a tais processos judiciais, ou outros que possam ser iniciados, afetando negativamente os negócios, resultados operacionais e a situação financeira da Companhia.

A Companhia pode perder processos judiciais e fiscais cuja probabilidade de perda é possível

Tem casos distribuídos nas áreas tributárias, cíveis e trabalhistas para qual a parcela não é feita reserva, que somam o montante de R$ 60,4 milhões em 31/12/2011. A perda desses processos pode afetar materialmente o desempenho operacional e financeiro da Companhia.

Risco de substituição de produtos e importados

A Companhia atua no fornecimento de produtos para cuidados com a saúde nas áreas de primeiros socorros, cirurgia, tratamento e higiene. A sólida posição da Companhia nesse mercado resulta da combinação de produtos de qualidade com uma marca reconhecida. Contudo, deve ser considerado o risco de substituição dos produtos que a Companhia atua. Caso a Companhia não consiga acompanhar o desenvolvimento tecnológico e tenha seus produtos substituídos, pode ter impacto negativo na operação.

A perda de uma parcela importante dos executivos seniores poderá prejudicar os negócios da Companhia.

A habilidade da Companhia em manter uma posição competitiva e perseguir estratégias de crescimento é dependente em grande parte de seus executivos seniores. Nenhum dos membros da equipe sênior está sujeito a contratos de trabalho de longo prazo. A complexidade dos negócios da Companhia requer que os executivos seniores tenham conhecimento da produção, venda e distribuição de produtos para a saúde e também administrem as inter-relações dessas atividades em suas operações. A perda de uma parcela importante dos executivos seniores ou sua inabilidade em atrair e reter pessoal qualificado pode ter um efeito adverso relevante sobre a Companhia.

Os interesses dos acionistas controladores da Companhia poderão diferir daqueles dos acionistas não controladores.

Os acionistas controladores da Companhia detém, dentre outras prerrogativas, a capacidade de eleger a maioria dos membros do Conselho de Administração e, sujeitos a certas exceções, deliberar sobre qualquer assunto que exija a aprovação dos acionistas, inclusive operações com partes relacionadas, reorganizações societárias, alienações, sociedades e o montante e período de pagamento de dividendos futuros.

A relativa volatilidade e falta de liquidez do mercado de valores mobiliários brasileiro poderão limitar substancialmente a capacidade dos investidores de vender as ações da Companhia pelo preço e no momento em que desejarem.

O investimento em valores mobiliários negociados em mercados emergentes, tal como o Brasil, envolve, com freqüência, maior risco em comparação a outros mercados mundiais, sendo tais investimentos considerados, em geral, de natureza mais especulativa. O mercado de valores mobiliários brasileiro é substancialmente menor, menos líquido, mais concentrado e pode ser mais volátil que os principais mercados de valores mobiliários mundiais. Deste modo, a Companhia não pode assegurar que um mercado líquido para as ações irá se desenvolver, e se desenvolvido, irá se manter, o que poderá limitar consideravelmente a capacidade dos investidores, em ações da Companhia, de vendê-las pelo preço e no momento em que desejem. O preço de mercado para as ações da Companhia pode flutuar significativamente em resposta a diversos fatores, que podem estar além do controle da Companhia. O volume médio diário negociado para ações da Companhia em 2011 foi de aproximadamente R$ 0,6 milhão, que pode ser considerado baixo comparado com outras ações negociadas na BM&FBOVESPA.

A Companhia pode vir a precisar de capital adicional no futuro, o que poderá resultar numa diluição da participação do atual acionista no capital social.

A Companhia pode precisar captar recursos adicionais no futuro através de emissões públicas ou privadas de ações ou valores mobiliários conversíveis em ações. De acordo com a Lei Brasileira, qualquer captação de recursos através da distribuição pública de ações ou valores mobiliários conversíveis em ações pode ser realizada sem o direito de preferência aos acionistas, incluindo os atuais acionistas, o que pode conseqüentemente resultar na diluição da participação destes investidores no capital social.

Disponibilidade de matéria prima em função de safras

A principal matéria prima da Companhia é o algodão, que representou em 2011 aproximadamente 12% do custo total do produto vendido. A Companhia está sujeita a disponibilidade de matéria prima em função de safras.

A variação do preço do algodão pode afetar adversamente a Companhia.

A Companhia está exposta às variações do preço de algodão nos mercados doméstico e internacional, uma vez que sua principal matéria prima é o algodão, podendo ter um impacto significativamente negativo em suas atividades e geração de caixa.

Aumento no custo de insumos e energia elétrica poderá causar impacto prejudicial à situação financeira e aos resultados operacionais da Companhia.

A Companhia depende da compra de insumos, e principalmente de energia elétrica para a produção de seus produtos. Caso tais insumos sofram aumento relevante e a Companhia não consiga repassar tais aumentos aos seus consumidores, a Companhia poderá sofrer aumento nos seus custos de produção e redução de suas margens de lucro.

Parceria com a Lemgruber

A Companhia celebrou em 2009 um acordo de exclusividade com a Targa, proprietária da marca Lemgruber, um dos principais fabricantes e importadores de luvas no Brasil. Em janeiro de 2011 a Companhia assinou um aditivo ao contrato de comercialização de luvas de procedimento, de forma que possa: a) comprar luvas de procedimento fornecidas pela Targa em condições especiais; b) efetuar diretamente a importação de luvas de procedimento; e c) utilizar a marca “Cremer” na comercialização das luvas de procedimento fornecidas pela Targa. Na mesma data, também foi assinado uma opção de subscrição de ações do capital social da Targa de pelo menos 20% e não mais do que 40% do capital social da Targa entre os anos de 2014 e 2017. As luvas representaram aproximadamente 22% da receita total da Companhia em 2011, e a ruptura da parceria com a Lemgruber e outros fornecedores pode afetar os resultados operacionais e financeiros da Companhia.

Parceria com a Embramed

A Companhia celebrou, em setembro de 2010, um contrato para comercialização preferencial dos produtos da Embramed, referência na fabricação de produtos médico hospitalares incluindo equipos, sondas, pulseiras, frascos, coletores, entre outros, e com quem a Companhia mantém um relacionamento comercial de longa data. Pelos termos do contrato, a Companhia terá condições especiais na compra dos produtos fabricados pelas Embramed Indústria e Comércio de Produtos Hospitalares Ltda., da Paraisoplex Indústria e Comércio Ltda. e da Ktorres Beneficiamento de Plásticos Ltda. (as “Sociedades”), por um prazo de três anos. Na mesma data, foram também assinados contratos que estabelecem as bases, premissas e condições para opção de compra pela Companhia e opção de venda pelos sócios das Sociedades das participações societárias correspondentes a 100% do capital social das Sociedades. A opção de compra da Companhia poderá ser exercida a qualquer tempo até março de 2014 e a opção de venda pelos sócios das Sociedades poderá ser exercida em março de 2014, uma vez verificadas as condições precedentes estabelecidas nos contratos de opções. A ruptura da parceria com a Embramed e outros fornecedores pode afetar os resultados operacionais e financeiros da Companhia.

Atualização Maio de 2012: Aprovação em 28/05/2012 pelo Conselho de Administração o exercício pela Companhia da opção de compra da totalidade das quotas representativas do capital social das Sociedades nos termos do Instrumento Particular de Opção de Compra de Participações Societárias, firmado em 22 de setembro de 2010. Tendo em vista que a aquisição das Quotas configura uma das hipóteses previstas no art. 256 da Lei 6.404/76, a operação foi submetida a aprovada na Assembleia Geral de Acionistas em 28 de junho de 2012, sendo assegurado aos acionistas eventualmente dissidentes, o direito de reembolso do valor de suas ações na forma prevista na legislação e regulamentação aplicável. Assim, os efeitos resultantes da operação no quadro acionário serão avaliados após o período do acionista dissidente da deliberação da Assembleia Geral manifestar o eventual direito de retirada.

Compra da P. Simon

A Companhia celebrou, no dia 23 de fevereiro de 2011, um Instrumento Particular de Compra e Venda de Ações e Outras Avenças para aquisição das ações representativas de 100% do capital social da P. Simon S.A., empresa que atua na fabricação e comercialização de produtos médico-hospitalares incluindo coletores, frascos, drenos, extensores e irrigadores, entre outros. Pelos termos do Contrato, a Companhia pagou aos acionistas da P. Simon o montante total de aproximadamente R$ 25 milhões sendo: R$ 15 milhões pagos na data de fechamento da aquisição (abril/11), e R$ 10 milhões a serem pagos em até 24 meses, a contar da data do fechamento. Na Assembléia Geral Extraordinária realizada em 04/08/2011, a P. Simon S.A. foi incorporada à Companhia. A aquisição está em linha com a estratégia da Companhia em aumentar sua competitividade empresarial, complementando seu portfólio de produtos no mercado de descartáveis e consumíveis médico-hospitalares, ao mesmo tempo em que consolida sua plataforma de produtos plásticos para saúde. A receita líquida com a linha de produtos P.Simon e Embramed totalizaram R$ 42,3 milhões em 2011.

Aquisição dos Ativos da TOPZ

A Companhia firmou em 03 de agosto de 2011, um Instrumento Particular de Compra e Venda de Ativos, Cessão de Direitos e Outras Avenças para aquisição dos principais ativos operacionais da Topz Indústria e Comércio de Cosméticos Ltda., empresa que atua na fabricação e comercialização de produtos de higiene pessoal como cosméticos, algodões, hastes flexíveis, curativos, entre outros, sob as marcas Topz, Salvelox, Salveped, entre outras. Pelos termos do Contrato, a Companhia pagará à Topz o montante total de aproximadamente R$ 73 milhões. A Topz representou R$ 7,7 milhões da receita líquida total da Companhia em 2011. A aquisição dos referidos ativos está em linha com a estratégia da Companhia em aumentar sua competitividade empresarial, expandindo seu portfólio de produtos no segmento varejo e ampliando sua plataforma de produtos de higiene pessoal.

Compra de fios e fornecedores em geral

A Companhia avalia continuamente a opção de comprar fios de terceiros versus a opção de produzir em suas fábricas. Com os investimentos feitos na fiação no ano de 2011, a Companhia produz 100% dos fios. Em casos de não ter a opção de produzir o fio em suas fábricas, a Companhia ficará dependente exclusivamente da compra de fios de terceiros e poderá sofrer aumento nos seus custos de produção e redução de suas margens de lucro, além do risco de oferta e disponibilidade dos fios no mercado.

Perda de Clientes e inadimplência

O maior cliente da Companhia representa pouco mais de 2% da receita total. Porém considerando que a Companhia lida com produtos de cuidado com a saúde, está exposta a possíveis processos cíveis. Além disso, a perda de clientes ou a inadimplência pode afetar os resultados operacionais e financeiros da Companhia.

Eventos que afetam adversamente o setor de assistência à saúde podem acarretar um efeito adverso relevante sobre a Companhia.

Uma parte significativa das receitas da Companhia deriva de vendas para o segmento hospitalar, que representou mais de 59% das receitas em 2011. Hospitais são altamente dependentes de investimentos do governo no setor de assistência à saúde. Apesar do aumento das despesas do Governo Federal com o setor de assistência à saúde, o Governo Federal tem enfrentado desafios para atender a expansão da demanda por serviços médicos de uma população crescente e em processo de envelhecimento. Adicionalmente, os hospitais contam também com fluxos de receita oriundos de companhias de seguro de saúde. O Governo Federal expandiu a cobertura obrigatória dos planos de seguro de saúde privados, mas impôs limitações aos aumentos de suas taxas e mensalidades. Como resultado, as companhias de seguro de saúde têm adotado medidas para controlar seus gastos e aumentaram os preços para novos beneficiários. Gastos menores do governo e a crescente pressão das companhias de seguro de saúde vêm forçando os hospitais a reduzirem seus custos. As iniciativas de redução de custos dos hospitais podem afetar negativamente as margens dos fabricantes de produtos descartáveis para a saúde. Além dos cortes de gastos, no setor privado a possibilidade de ocorrer um excesso de regulamentação, pode acarretar em uma aversão e consequente restrição ao investimento privado nesse setor. Uma deterioração da condição financeira do setor brasileiro de assistência à saúde pode resultar em efeito adverso relevante sobre a Companhia. Além disso, qualquer evento ou mudança que afete o setor brasileiro de assistência à saúde pode afetar adversamente a Companhia.

A Companhia opera em uma indústria competitiva.

As indústrias brasileiras de produção e distribuição de produtos descartáveis para a saúde são competitivas. Em termos de produção, atualmente competimos nas linhas de produtos low end, com empresas pequenas e locais, enquanto competimos com companhias multinacionais capitalizadas e estabelecidas no Brasil nas linhas de produtos high end. Essas multinacionais e outros competidores internacionais podem decidir consolidar ainda mais as suas presenças no Brasil, atuando mais agressivamente e até mesmo investindo no desenvolvimento de canais de distribuição próprios. Adicionalmente, a Companhia pode enfrentar no futuro a competição de produtos importados similares. As margens da Companhia poderão estar expostas a pressões na medida em que competidores locais ou externos tentem ganhar participação no mercado brasileiro.

A formação de grupos de compra para adquirir produtos de assistência à saúde poderão impor pressão sobre as margens da Companhia.

O mercado consumidor de produtos de assistência à saúde é altamente fragmentado. Nos últimos anos, podem-se notar sinais iniciais de que a indústria possa vir a caminhar para a formação de grupos de compra. Parte do crescimento da Companhia tem sido baseado na habilidade de segmentar e negociar preços com cada cliente, caso-a-caso. Se estes sinais iniciais evoluírem para uma aceleração na formação de grupos de compra, a possível inabilidade da Companhia em negociar termos favoráveis com cada cliente poderá impor pressão sobre as margens.

A Companhia é sujeita a várias regulamentações da indústria brasileira de assistência à saúde, e alterações nas exigências regulatórias para obter e renovar licenças, alvarás ou registro de produtos ou atrasos do governo na emissão de licenças, alvarás ou registro de produtos podem afetar de modo adverso a Companhia.

A Companhia está sujeita a inúmeras leis e regulamentos locais, estaduais e federais, a permissões e a exigências para a obtenção de licenças, alvarás ou registro de produtos, e a padrões operacionais e de segurança do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, ou Anvisa, e das secretarias estaduais e municipais de saúde. Não podemos assegurar que o governo não irá alterar as exigências para obter ou renovar licenças, alvarás ou registro para produtos de terceiros ou para produtos fabricados, ou atrasar a emissão destas licenças, alvarás ou registro de produtos. Qualquer mudança significativa em tais exigências ou inabilidade da Companhia para atendê-las, ou atrasos do governo para emitir licenças, alvarás ou registro de produtos, podem impedir a Companhia de vender e distribuir um determinado produto ou causar atrasos no lançamento de produtos ou aumentar os custos para obter ou renovar licenças, alvarás ou registro de produtos, o que pode afetar adversamente a Companhia.

Mudanças significativas nas leis e regulamentações ambientais podem afetar adversamente a Companhia.

Fabricantes brasileiros, incluindo a Companhia, estão sujeitos a rigorosas leis e regulamentos federais, estaduais e municipais referentes, entre outras coisas, ao descarte de resíduos sólidos e descargas nos cursos de água. A Companhia é obrigada também a obter autorizações de agências governamentais para algumas de operações. Se a Companhia violar ou falhar no cumprimento destas leis e regulamentos, pode estar sujeita a penalidades cíveis e criminais e as autorizações da Companhia para operar podem ser revogadas. A Companhia pode também ser responsabilizada por custos substanciais de recuperação ambiental. A Companhia pode ser adversamente afetada por qualquer mudança nas leis e regulamentos ambientais, o que levaria a gastar recursos adicionais para manter a conformidade atual.

Países estrangeiros onde a Companhia atua

A Companhia não desenvolve atividades operacionais relevantes no exterior, mas nos países em que atua, a Companhia está sujeita a regulamentação de cada país, podendo ser autuada devido à violação ou falha no cumprimento destas leis podendo estar sujeita a penalidades cíveis e criminais.

A Companhia tem como prática a análise constante dos riscos aos quais está exposta e que possam afetar seus negócios, sua situação financeira e os resultados de suas operações de forma adversa. A Companhia está constantemente monitorando mudanças no cenário macro-econômico e setorial que possam influenciar suas atividades, através do acompanhamento dos principais indicadores de performance. A Companhia acredita possuir elevado grau de controle sobre seus fornecedores, visando a evitar qualquer tipo de efeito adverso em suas atividades. A Companhia adota política de foco contínuo na disciplina financeira e na gestão conservadora de caixa e mantêm a mesma disciplina na manutenção dos seguros.