Hopi Hari
- Principais riscos que a própria Companhia enxerga e assume

Principais riscos da Companhia

Situação financeira da Companhia

Até a conclusão da reestruturação financeira e societária descrita no item 6.3., a Companhia encontrava-se em difícil situação financeira e patrimonial. A reestruturação reverteu a situação de patrimônio líquido negativo, posicionando-o, na data de 31 de dezembro de 2009, em R$ 5.452 mil.

Além de proporcionar a reversão da situação do patrimônio líquido, a reestruturação promoveu alteração do perfil do endividamento, anteriormente integralmente em curto prazo, para situação quase total de longo prazo; efeito também importante foi a redução expressiva das taxas de remuneração do passivo financeiro.

Nos anos posteriores à reestruturação financeira, a Companhia acumulou geração de caixa operacional, parcialmente reinvestido.

Em 31 de dezembro de 2011, através da convergência às Normas Internacionais de Contabilidade, através da aplicação dos CPC´s, a Companhia apresenta patrimônio líquido de R$ 127.310 mil.

No entanto, a manutenção da capacidade de pagamento e da estabilidade da situação financeira e patrimonial da Companhia depende, dentre outros, de fatores sobre os quais a Companhia não detém controle, tais como visitação, condições climáticas, manutenção do nível de renda da população. Caso as previsões e planejamentos sobre os quais a reestruturação foi elaborada não se concretizem ou não atinjam níveis adequados para a geração de receita e para fazer frente ao grau de alavancagem resultante da reestruturação, a capacidade da Companhia de honrar os compromissos assumidos perante seus credores poderá ser afetada de modo adverso.

Elevados custos fixos

A manutenção e operacionalização de um parque temático possuem altos custos fixos. Tais custos envolvem contratação de empregados e terceirizados, compra de peças de reposição para os brinquedos, gestão de questões ambientais, conta de energia elétrica etc. Existe pouca margem para economia com tais custos fixos, pois o funcionamento do parque fica prejudicado sem tais gastos.

Caso a Companhia não consiga gerar recursos suficientes para pagamento de seus custos fixos e de suas obrigações financeiras e decida priorizar o pagamento de tais custos fixos, poderá deixar de pagar seus credores.

Risco de vencimento antecipado de empréstimos e financiamentos

A Companhia emitiu debêntures e celebrou o Acordo de Investimento e o Acordo judicial relativo ao débito perante o BNDES, os quais possuem cláusulas restritivas em relação a matérias de interesse da Companhia, incluindo, sem limitação, a manutenção de níveis de endividamento, que, caso venham a ser descumpridas, podem implicar o vencimento antecipado das dívidas da Companhia.

Caso algum dos eventos de vencimento antecipado ocorra e ocorra a declaração de vencidas antecipadamente as debêntures emitidas pela Companhia, por exemplo, a Companhia deverá pagar o saldo do valor nominal das debêntures, acrescido de encargos. Nessa hipótese, é possível que (i) outras dívidas da Companhia também vençam antecipadamente e (ii) a Companhia não tenha recursos disponíveis em valor suficiente para pagamento dos credores.

A Companhia está sujeita a riscos relacionados com pendências judiciais e administrativas.

A Companhia é parte em diversos processos judiciais e processos administrativos, incluindo processos discutindo a cobrança de tributos, disputas trabalhistas, além de ações cíveis, algumas delas de difícil mensuração. Em 31 de dezembro de 2011, o provisionamento total realizado pela Companhia com relação a tais processos era de R$9.620 mil e o valor depositado judicialmente era de R$10.573 mil.

Caso parte substancial de tais processos ou um ou mais processos de valor relevante sejam julgados contrariamente à Companhia e não haja provisão em valor suficiente, os resultados da Companhia poderão ser adversamente afetados. Além disso, caso isso ocorra, mesmo que haja provisão suficiente, a liquidez da Companhia poderá ser adversamente afetada.

Impactos de acidentes

Brinquedos de parques de diversão são utilizados por um grande número de pessoas, existindo a possibilidade de que visitantes, por negligência própria, dos operadores dos brinquedos ou, ainda, por falha mecânica dos aparelhos, venham a sofrer algum acidente. Além das indenizações que porventura venham a ser impostas à Companhia, acidentes podem causar danos à imagem de um parque, reduzindo seus níveis de visitação.

Investimentos no parque

Para que um parque de diversão tenha novos entretenimentos, são necessários altos investimentos de capital. Isso porque cada brinquedo tem valor elevado de aquisição. Por outro lado, um dos fatores que estimulam a atração de visitantes ao parque de diversões são novos brinquedos e atrações.

Desde o início de suas atividades, a Companhia não investiu em novos brinquedos no parque. No entanto, após sua reestruturação societária, a Companhia decidiu pela realização de investimentos em atrações de alto impacto no curto e médio prazos. Em 2011 tais investimentos tiveram início por decorrência do contrato de licenciamento de utilização de conteúdo Warner Bros., através da utilização dos personagens de Looney Tunes e Liga da Justiça que envolvem a tematização de duas regiões temáticas do parque, das cinco regiões existentes, a região com tematização Looney Tunes está em operação desde o início de 2012, e a região com tematização Liga da Justiça tem previsão de início de operação no segundo semestre de 2012. Outro investimento realizado diz respeito à aquisição de uma nova montanha russa, recorde mundial em inversões, com 10 inversões, com previsão de lançamento no segundo semestre de 2012. Os recursos necessários aos investimentos mencionados estão sendo financiados em parte por terceiros, e parte com recursos próprios.

Não obstante, a Companhia não tem como garantir que as novas atrações resultem em aumento de visitantes no parque, o que poderá acarretar, no longo prazo, a deterioração da sua condição financeira e capacidade de pagamento, porém estes investimentos tornam o empreendimento aderente aos conceitos da indústria de parques, que rezam pela renovação como fator de alavancagem da visitação, seja pela manutenção da capacidade de repetição dos visitantes, seja pelo despertar do interesse em novos visitantes

A estratégia de gerenciamento de risco da Companhia pode não ser eficaz, podendo afetar adversamente o fluxo de caixa da Companhia.

A Companhia encontra-se exposta a riscos de mercado tradicionais, tais como flutuações de taxas de juros e taxas de câmbio.

A estratégia de proteção da Companhia pode não ser bem-sucedida em proteger a exposição do seu fluxo de caixa a essas flutuações e a Companhia pode não conseguir identificar correlações entre os diversos riscos de mercado aos quais está exposta.

Caso haja qualquer evento cuja política de gerenciamento de risco não atue de forma eficaz, o fluxo de caixa da Companhia poderá ser negativamente impactado, com efeitos adversos para a Companhia.

Os interesses da acionista controladora da Companhia podem ser conflitantes com os interesses da Companhia.

A acionista controladora da Companhia detém mais de 100% de seu capital social, o que implica poderes para, entre outras coisas, eleger todos os membros do Conselho de Administração e determinar o resultado de qualquer deliberação que exija aprovação de acionistas, inclusive operações com partes relacionadas, reorganizações societárias ou alienações de ativos. O exercício do poder de controle na forma descrita acima poderá diferir dos interesses da Companhia.

Interrupções no fornecimento de energia elétrica

Um dos principais itens de consumo do parque é energia elétrica, sendo esta a fonte de força da maioria das atrações. Caso ocorra alguma interrupção no fornecimento de energia elétrica, diversas atrações, algumas das mais importantes, ficarão inoperantes, o que poderá causar um efeito adverso na imagem do parque perante seus visitantes. Nessa situação, os valores dos ingressos adquiridos e que porventura tenham acessado as dependências do parque nos dias de eventuais interrupções no fornecimento de energia poderão ser devolvidos, bem como outros visitantes poderão deixar de ir ao parque, reduzindo a receita da Companhia, afetando seus resultados financeiros e sua capacidade de pagamento de suas obrigações financeiras.

Efeitos da instabilidade econômica sobre os consumidores

O setor de atuação da companhia é afetado pelo nível de renda discricionária da população. Quando a economia do País retrai, a capacidade de formação desta renda discricionária é direta e relevantemente afetada.

O crescimento da capacidade de geração de receita da Companhia depende, além de outros fatores, da estabilidade econômica e do crescimento do poder aquisitivo da população. Como exemplo disso, temos a implantação do Plano Real no início da década de noventa, que permitiu uma redução significativa da inflação e consequente aumento de renda da população, impulsionando positivamente as vendas da Companhia.

Por outro lado, a ocorrência de eventos que resultem na retração da economia, tais como o aumento das taxas de inflação e a elevação das taxas de juros, podem causar instabilidade, resultando em recessão e aumento dos níveis de desemprego e diminuição de renda da população, que têm impacto direto sobre a visitação do parque e sobre os gastos dos seus visitantes. A queda do volume de visitantes poderá afetar adversamente a capacidade de geração de receitas da Companhia, afetando, também, sua situação financeira e o resultado de suas operações.

Contingências ambientais

A construção e operação de parques de diversão, que envolvem o uso, a administração e o transporte de resíduos sólidos, desflorestamento, poluição visual e auditiva e o manuseio e uso de derivados de petróleo na manutenção dos brinquedos e de outras atrações, podem expor a Companhia a contingências ambientais.

As exigências das normas ambientais têm aumentado e se tornado mais severas no Brasil. Assim, é possível que sejam necessários, no futuro, investimentos na área ambiental e a elevação dos custos incorridos pela Companhia para se manter em acordo com as leis ambientais, porém não afetando sua condição financeira e capacidade de pagamento de suas obrigações financeiras.

Riscos relativos a alterações em leis tributárias

O Governo Federal regularmente implementa mudanças nas leis tributárias. Estas mudanças incluem ajustes na alíquota aplicável e, ocasionalmente, imposição de tributos temporários cujos recursos são alocados para certos fins determinados pelo Governo Federal. Essas medidas podem aumentar as obrigações fiscais da Companhia, o que, por sua vez, afetaria adversamente seus resultados.

Caso a Companhia não consiga repassar o custo desses tributos adicionais aos seus clientes, seus resultados operacionais e sua condição financeira podem ser adversamente afetados.