BR Malls – Principais Riscos

Os riscos que a própria Companhia enxerga e assume, relacionados as suas atividades

Queda de receita devido a degradação do ambiente macroeconômico

Nosso endividamento pode afetar negativamente os nossos negócios e a nossa capacidade de crescimento

Falha na definição e na implementação da estratégia de Inovação e Tecnologia

Paralisação total ou parcial das atividades de nossos shoppings em decorrência de: desastres naturais; pandemias; greves; instabilidade social e outros eventos externos e alheios as nossas ações.

Dificuldade de sucessão das principais cadeiras e incapacidade de atrair e reter profissionais qualificados

Falhas nas projeções orçamentárias diante do cenário de t:rande volatilidade, incerteza e mudanças nos habitas dos consumidores

Incapacidade em capturar e tratar os dados deforma à obter as informações mais precisas e assertivas para a realização de estudos e conhecer o cliente

Indisponibilidade do ambiente tecnológico, violação de privacidade e confidencialidades, e sequestro de dados

Investimento de recursos em projetos de retrofit, que podem não se realizar ou ser entregues com qualidade, escopo e/ou retomo financeiro

Restrição orçamentária para promover as melhorias previstas na manutenção dos nossos shoppings mitigando riscos operacionais que impactem a estrutura, aspectos de engenharia, prevenção de incêndio e manutenção preventiva)

A ocorrência de acidentes nos shopping centers pode acarretar danos físicos e materiais a nossos colaboradores, Lojistas, consumidores e terceiros, além de outros danos e impactos à nossa imagem e reputação. Nossas apólices de seguro podem ser insuficientes para cobrir eventuais sinistros e perdas

Decisões conflitantes dos nossos acionistas podem nos afetar adversamente

Acionistas poderão não receber dividendos ou juros sobre o capital próprio

A volatilidade e a liquidez inerentes ao mercado de valores mobiliários brasileiro poderão limitar substancialmente a capacidade dos investidores venderem ações ordinárias de nossa emissão ao preço e no momento desejado

Dependemos em grande parte dos resultados de nossas controladas, que podem não vir a ser distribuídos

A nossa participação em sociedades, consórcios, estacionamentos e condomínios com terceiros ou outras formas de parcerias (joint ventures) criam riscos, incluindo potenciais problemas financeiros e de relacionamento comercial com os nossos sócios. Os riscos envolvendo essas joint ven.tures incluem potenciais dificuldades financeiras ou falência de parceiros e a possibilidade de haver interesse econômico ou comercial divergente ou inconsistente.

Adicionalmente, se nossos parceiros falharem em efetuar ou estiverem impossibilitados de manter sua participação nas contribuições de capital necessárias, poderemos ter que realizar investimentos adicionais inesperados e disponibilizar recursos adicionais.

Outro risco relacion ado a essas parcerias decorre do fato da legislação brasileira prever a eventua l responsabilida de solidária de sócios/condôminos e consorciados por obrigações da sociedade/condomínio em certas áreas, incluindo, mas nãose limitando, às áreas fiscal, trabalhista, ambiental e de proteção ao consumidor. Sendo assim, podemos ter eventuais efeitos adversos decorrentes da conduta de nossos parceiros em determinados empreendimentos.

Podemos sofrer com a descontinuidade de fornecimento de serviços essenciais e ser expostos a risco de desvio de conduta ética e de aspectos de integridade por parte de nossos fornecedores e parceiros comerciais.

Eventuais dificuldades financeiras dos nossos lojistas poderão causar um efeito adverso para nós

O setor de shopping centers no Brasil é altamente competitivo, o que poderá ocasionar uma redução do volume de nossas operações

Os resultados operacionais dos nossos shoppings centers dependem das vendas geradas pelas lojas neles instaladas, que são vulneráveisa períodos de recessão econômica e redução nos iastos dosconsumidores

Qualquer redução em nossas classificações de ratini ou redução no ratini do País pode nos afetar materialmente e de forma negativa

Incapacidade em garantir sustentação de crédito no mercado, perdendo condição positiva de avaliação financeira para novos financiamentos

Falha no cumprimento de requisitos ref?ulatórios, normativos, incluindo os de aspectos éticos e corrupção

O setor de shopping centers está sujeito à regulamentação, que poderá implicar maiores despesas ou obstrução ao desenvolvimento e funcionamento de determinados empreendimentos, causando um efeito adverso para nós

Descumprimento ou não adequação temporal à leis e normas vigentes para garantir o tratamento de dados em conformidade com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados)

As organizações estão sujeitas a buscar adequação aos elementos ambiental, social e de govemança

O setor de shopping centers está sujeito a diversas normas, inclusive ambientais, para seu regular funcionamento, o que pode afetar nossas atividades

As atividades da Companhia relacionadas à aquisição de terrenos, ao desenvolvimento e a operação de empreendimentos imobiliários podem estar sujeitas à regulação ambiental.

Nesse sentido, podem ser necessárias determinadas autorizações e o licenc iame nto de áreas adquiridas e de construções perante os órgãos competentes. Ao longo dos referidos processos de licenciamento podem surg ir entraves, tais como a exigência da adoção de medidas compensatórias e/ou mitigadoras, bem como questionamentos, por via administrativa e/ou judicial, por parte das autoridades e órgãoscompetentes.

Ainda, existe a possibilidade de que os empreendimentos da Companhia estejam localizados em áreas contaminadas ou próximas de áreas onde exista contaminação, o que  pode nos sujeitar a despesas e custos para a adoção das medidas necessárias para descontaminação e remediação das referidas áreas como mecanismos de prevenção e/ou contingências para reduzir a probabilidade de ocorrência de danos ambientais materias.

Caso quaisquer destas questões ocorra, poderemos ter nossos negócios, resultados operacionais e nossa imagem afetados.