Copel-Principais Riscos

Os riscos que a própria Companhia enxerga e assume, relacionados as suas atividades

Estamos envolvidos em diversas ações judiciais que podem ter efeito adverso relevante sobre nosso negócio se seu desfecho nos for desfavorável.

Estamos sujeitos a limitações quanto ao montante e a utilização de financiamento do setor público, que poderia nos impedir de obter financiamento e implantar nosso plano de investimento.

Falhas em nossos controles de segurança cibernética ou divulgação não autorizada de informações, bem como o não cumprimento das leis existentes de privacidade e segurança de dados, podem afetar adversamente nossos negócios e reputação.

Se não pudermos concluir nosso programa proposto de investimentos no prazo, a operação e o desenvolvimento de nosso negócio podem ser afetados adversamente.

A construção e a expansão de nossos projetos de transmissão e geração de energia envolvem riscos significativos que podem exercer um efeito adverso sobre a Companhia.

A interrupção das operações ou deterioração da qualidade dos nossos serviços, ou nos das nossas subsidiárias, poderia ter efeito adverso nos nossos negócios, situação financeira e resultados das operações.

Nossa governança, conformidade e controles internos podem falhar na prevenção de violações de padrões legais, regulatórios, ético s ou de governança.

Nós podemos adquirir outras empresas no setor elétrico ou novas concessões de energia, como já fizemos no passado, o que poderia aumentar a nossa alavancagem financeira  e afetar adversamente a nossa performance consolidada.

Disputas trabalhista s podem ocasionalmente interromper nossas operações.

A construção, expansão e operação de nossas instalações e equipamentos de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica envolvem riscos significativos que podem causar perda de receitas ou aumento de despesas.

Estamos sujeitos a perdas ou ganhos líquidos não realizados de correntes da marcação a mercado dos contratos de compra e venda de energia, podendo expor a Companhia ao risco do preço futuro da energia.

Somos estritamente responsáveis por quaisquer danos decorrentes de prestação inadequada de serviços de energia elétrica e nossa s apólices de seguro podem não cobrir inteiramente tais danos.

Não temos segurança quanto à velocidade de nossa capacidade de inovação tendo em vista as mudanças que o setor de energia está passando, impulsionadas pelo avanço das tecnologias.

Somos controlados pelo Estado do Paraná. Portanto as políticas e prioridades governamentais afetam diretamente nossas operações e podem ser conflitantes com os interesses de nossos investidores.

As vendas de um número substancial de ações, ou a percepção de que tais vendas possam ocorrer, podem afetar adversamente o preço de mercado de nossas ações ou ADSs.

A relativa volatilidade e a liquidez dos mercados de títulos mobiliários brasileiro s podem restringir sua capacidade de vender as ações classe B objeto das ADSs.

Estamos sujeitos a fatores climáticos e a incertezas que podem afetar adversamente nossas operações e resultados .

Somos acionistas controladores de uma empresa que opera um negócio de distribuição de gás (Compagas) e, consequentemente, estamos expostos a riscos inerentes a esse setor.

Ainda somos acionistas controladores de uma empresa que opera um negócio de telecomunicações (Copel Telecomunicações S.A.) e, consequentemente, estamos expostos aos riscos inerentes a esse setor.

Se não for possível viabilizar nossa proposta que considera o desinvestimento no controle da Copel   Telecomunicações   S.A.,   teremos   que   reavaliar   nossa   estratégia   no   setor   de  telecomunicações.

Caso não seja possível implementar nossa proposta de alienação do controle da Companhia Paranaense de Gás – Compagas, teremos que reavaliar nossa estratégia de desenvolvimento de negócios.

Nosso negócio pode ser adversamente afetado pelo desempenho de nossos fornecedores ou contratados que não controlamos

Certos consumidores em nossa área de concessão de distribuição podem deixar de comprar energia de nosso negócio de distribuição.

Parte de nossas receitas operacionais é proveniente de consumidores livres, que podem buscar fornecedores de energia alternativos quando seus contratos conosco expirarem.

Dependemos em grande parte da economia do Estado do Paraná

O governo brasileiro tem influência significativa na economia brasileira. As condições políticas e econômicas brasileiras e a percepção do investidor dessas condições têm impacto direto nos nossos negócios, situação financeira, resultados das operações e perspectivas.

Os efeitos da pandemia do coronavírus podem ter um impacto material adverso em nossas operações e resultados.

Flutuações no valor do real em relação a moedas estrangeiras podem resultar em incerteza na economia brasileira e no mercado mobiliário brasileiro, o que pode ter efeito adverso relevante sobre nosso lucro líquido e nossos fluxos de caixa.

A inflação e as medidas governamentais para reduzi-la podem contribuir para a incerteza econômica no Brasil, e poderiam reduzir nossas margens e o preço de mercado das ações classe B e ADSs.

Alegações de corrupção política contra o governo federal brasileiro e o poder legislativo poderiam resultar em instabilidade econômica e política

Mudanças nas políticas tributárias brasileiras podem surtir efeitos adversos sobre nós e nossos acionistas

Acontecimentos negativos em outras economias nacionais, especialmente naquelas de países em desenvolvimento, podem afetar negativamente investimentos estrangeiros no Brasil e o crescimento econômico do país.

As regras para negociação de energia elétrica e condições de mercado podem afetar os preço s de venda de energia elétrica.

Não temos certeza quanto à renovação  de algumas de nossas concessões de  geração e transmissão.

O contrato de concessão de nossa controlada Compagas está em discussão com o poder concedente

Nossos resultados operacionais dependem das condições hidrológicas atuais, que são voláteis. O impacto da falta de água e as medidas adotadas pelo governo no sentido de preservar energia podem exercer um efeito adverso sobre nossos negócios, nossa condição financeira e nosso resultado operacional.

A ANEEL pode nos penalizar por inobservância dos termos de nossas concessões ou das leis e regulamento s aplicáveis, e podemos não recuperar o valor integral de nosso investimento no caso de extinção de quaisquer de nossas concessões.

Estamos sujeitos a uma regulamentação abrangente de nossos negócios, que afeta fundamentalmente nosso desempenho financeiro.

Podemos ser forçados a comprar ou vender energia no Mercado Spot a preços mais altos ou mais baixos e podemos não ter o direito de repassar qualquer aumento de custos ou perdas incorridas a nossos consumidores finais em tempo hábil, ou de forma alguma.

Estamos sujeitos ao risco de crédito de uma contraparte em contratos celebrados com a Copel Comercialização (Copel Mercado Livre) e, em caso de inadimplência, podemos ter que vender ou comprar energia por um preço base diferente.

Estamos sujeitos ao risco de variação cambial caso passemos a realizar negócios de importação de energia, bem como se realizarmos negócios envolvendo gás natural.

Nossos equipamentos, instalações e operações estão sujeitos a vários regulamentos ambientais e de saúde, que podem se tornar mais rígidos no futuro e resultar em maiores obrigações e maiores investimentos de capital.

Estamos sujeitos a diversos riscos relacionados a questões socioambientais em nossos empreendimentos.

Falhas em barragens sob nossa responsabilidade podem causar sérios danos às comunidades afetadas, aos nossos resultados e à nossa reputação.