Recrusul-Principais Riscos

Os riscos que a própria Companhia enxerga e assume, relacionados as suas atividades

Riscos Relacionados a Fatores Macroeconômicos

Os negócios da Companhia estão diretamente ligados a variáveis como: aumento/redução do crédito, taxa de juros, crescimento do PIB, taxa de câmbio e inflação que podem influenciar diretamente na demanda de seus produtos e da pro pensão a comprar equipamentos Recrusul.

Riscos Relativos às Indústrias de Veículos e Implementas e de Refrigeração Industrial

O mercado de atuação em que a Companhia opera é fortemente dominado por uma vasta gama de competidores locais. A importação de semirreboques ainda não é um fator de concorrência para as empresas locais.

Importante parte da competitividade desta indústria dá-se através de uma rede comercial bem estruturada e que consiga atender corretamente, respeitando prazos e entregando qualidade sempre com o objetivo de satisfazer os clientes.

As matérias-primas que a Companhia utiliza são fornecidas principalmente por indústrias locais que em momentos de excesso de demanda poderão sofrer atrasos de entrega ou até mesmo falta temporária de insumos. As importações atendem uma parcela limitada das matérias -primas que utilizamos.

O setor de implementas rodoviários e de refrigeração industrial é fortemente afetado pelo aquecimento/ desaquecimento da economia.

Riscos Relativos aos Negócios da Companhia

A Companhia levantou sua Recuperação Judicial em dezembro de 2008, após passar por t roca de controle acionário em abril do mesmo ano. Os novos acionistas aportaram aproximadamente R$ 35,0 milhões entre 2008 e 2010 com o objetivo de prover a Companhia de capital de giro necessário ao retorno das operações. Além disto, os recursos foram utilizados para pagamento da primeira e segunda parcela do Plano de Recuperação Judicial. O montante total do pedido de Recuperação Judicial foi de R$ 32,0 milhões, restando R$ 20,0 milhões ainda a serem pagos em cinco anos com vencimento final em dezembro de 2015 e com taxa de juros de 6% a.a. sem correção monetária.

Em Janeiro de 2016 em nova AGC foram repactuados os termos de pagamento dos montantes relativos a RJ de 2006 através de alienação de ativo imobilizado da empresa e conversão de dívidas em ações da Companhia nas capitalizações do ano de 2016 e 2018.

Oscilações macro econômicas podem afetar a capacidade da empresa de conseguir implantar um crescimento de vendas e produção para fazer frente ao seu passivo de curto e longo prazo.

O grande número de concorrentes e, por vezes, suas estratégias comerciais agressivas podem levar à empresa ter dificuldades de manter o ritmo de crescimento de suas receitas a médio prazo.

Problemas de qualidade dos nossos produtos e gargalos no setor de logística brasileiro podem gerar dificuldades de crescimento dos negócios.

Novas ações judiciais cíveis, trabalhistas e/ou tributárias podem afetar a estrutura patrimonial da empresa e levar ao desequilíbrio patrimonial.

Riscos Relativos às Ações Companhia

As ações da Companhia possuem liquidez restrita na BMF&Bovespa. As de maior liquidez são as ações preferenciais que não possuem direito a voto.

A Companhia não possui um Grupo formal de controle o que pode dificultar a precificação da empresa no mercado de capitais.