Sabesp – Principais Riscos

Os riscos que a própria Companhia enxerga e assume, relacionados as suas atividades

O desempenho financeiro e operacional da Companhia pode ser adversamente afetado por epidemias, desastres naturais e outras catástrofes, como o surto da COVID-19.

Os municípios poderão rescindir as concessões antes que expirem, em determinadas circunstâncias. Os pagamentos de indenização a receber nesses casos podem ser menores do que o valor dos investimentos realizados pela Companhia, ou podem ser pagos por um período prolongado, afetando adversamente os negócios, condição financeira ou resultados operacionais da Companhia.

A incerteza regulatória atual, especialmente no que diz respeito ao Novo Marco Legal do Saneamento Básico, pode ter um efeito adverso sobre os negócios, condição financeira ou resultados operacionais da Companhia.

Estiagens, como as da crise hídrica de 2014 – 2015, podem ter um impacto relevante nos negócios da Companhia e nos hábitos de consumo e, portanto, podem ter um impacto adverso relevante nos negócios, condição financeira ou resultados operacionais da Companhia.

Determinados termos do contrato de prestação de serviços de água e esgoto com. o município de São Paulo poderão trazer um efeito adverso significativo sobre a Companhia.

A atual estrutura tarifária da Companhia está desatualizada e não reflete as mudanças socioeconômicas ocorridas no Estado de São Paulo nas últimas décadas. A atualização aprovada e sua implementação podem gerar incertezas no mercado, bem como imprevisibilidade quanto às receitas futuras da Companhia.

Qualquer falha na obtenção de novos financiamentos poderá afetar adversamente a capacidade da Companhia de dar continuidade ao seu plano de investimentos.

Condições climáticas extremas e mudanças climáticas podem ter um impacto adverso relevante sobre os negócios, condição financeira ou resultados operacionais da Companhia.

Novas leis e regulamentos relacionados a mudanças climáticas e mudanças na regulamentação existente podem resultar em obrigações adicionais e aumento de investimentos, o que pode ter um efeito adverso relevante sobre a Companhia.

Cumprimento das leis ambientais e responsabilidade ambiental podem ter um efeito material adverso sobre a Companhia.

Condenações em processos judiciais de valor significativo contra a Companhia poderão ter um efeito negativo material

A Companhia está sujeita a leis e regulamentos contra corrupção, suborno, lavagem de dinheiro, sanções e leis e regulamentos antitruste. A infração dessas leis e regulamentos pode ter um efeito adverso significativo em sua reputação, seus resultados operacionais e sua condição financeira.

Os negócios da Companhia estão sujeitos a ataques cibernéticos e violações de segurança e privacidade.

O não cumprimento pela Companhia da LGPD ou de qualquer outra lei de privacidade promulgada no Brasil pode afetar adversamente sua reputação, negócios, condição financeira ou resultados operacionais

Acidentes industriais, falhas de equipamentos, riscos ambientais ou outros fenômenos naturais podem afetar adversamente as atividades, ativos e reputação da Companhia e podem não estar cobertos por suas apólices de seguros.

A Companhia pode enfrentar dificuldades na cobrança de valores em atraso devidos por entidades do governo municipal

A Companhia pode não estar sempre em condições de pagar dividendos ou juros sobre o capital próprio

O detentor de ações ordinárias ou ADSs poderá enfrentar dificuldades em proteger seus interesses como acionista, porque a Companhia é uma sociedade brasileira de economia mista.

A Companhia é controlada pelo Estado de São Paulo, cujos interesses podem diferir dos interesses dos acionistas minoritários, incluindo dos detentores de ADSs.

O acionista controlador está atualmente discutindo propostas para a reestruturação societária da Companhia. Não é possível garantir que qualquer potencial reorganização não tenha um efeito adverso relevante sobre os negócios, condição financeira ou resultados operacionais da Companhia.

O Estado de São Paulo e algumas de suas entidades têm dívidas substanciais não pagas com a Companhia. Não é possível assegurar quando ou se o Estado de São Paulo irá pagar.

O direito da Companhia de retirar água das represas Guarapiranga e Billings está sendo contestado judicialmente pelos acionistas minoritários da EMAE.

Se a Companhia emitir novas ações ou se seus acionistas venderem ações no futuro, o preço de mercado das ADS poderá ser reduzido.

Eventuais interrupções no fornecimento de energia elétrica poderão ter efeito adverso sobre as atividades da Companhia.

O governo brasileiro exerceu e continua a exercer influência significativa sobre a economia brasileira. Essa influência, bem como as condições políticas e econômica s brasileiras, pode afetar adversamente a Companhia e o preço de mercado das suas ações ordinárias e ADSs.

O Novo Marco Legal do Saneamento Básico proíbe contratos de programa para serviços de saneamento básico, gerando incertezas às atuais e futuras concessões da Companhia.

A venda das ações da Companhia para o setor privado que exclui o Estado de São Paulo como seu acionista majoritário traz incertezas quanto à manutenção de contratos de programa existentes.

A instabilidade política em curso afetou adversamente a economia brasileira e pode ter um efeito adverso sobre a condição financeira e resultados operacionais da Companhia.

A inflação e as medidas do governo brasileiro para combater a inflação podem contribuir para a incerteza econômica no Brasil, afetando adversamente a Companhia e o preço de mercado das suas ações ordinárias ou ADSs.

A instabilidade e a evolução da taxa de câmbio e a percepção de risco em outros países, especialmente nos Estados Unidos e em países emergentes, podem afetar adversamente a Companhia, sua dívida denominada em moeda estrangeira e o preço de mercado das ações ordinárias ou ADSs e sua capacidade para atender obrigações denominadas em moeda estrangeira.

A relativa volatilidade e falta de liquidez do mercado de valores mobiliários brasileiro poderão limitar de maneira significativa a capacidade de um detentor de vender as ações ordinárias que lastreiam as ADSs da Companhia pelos preços e à época que desejar.

Os investidores que permutarem as ADSs por ações ordinárias poderão perder a capacidade de remeter moeda estrangeira para o exterior e de obter certas vantagens fiscais brasileiras.

As disposições obrigatórias sobre arbitragem existentes no Estatuto Social da Companhia podem limitar a capacidade de um detentor de ADSs de executar responsabilidades nos termos da legislação de valores mobiliários dos Estados Unidos.

Um detentor de ADSs poderá não ser capaz de exercer direitos de preferência e de venda conjunta (“tag-along’1 no que diz respeito às ações ordinárias da Companhia.

Um detentor de ADSs não tem os mesmos direitos de voto que os acionistas.